large_3_5504bf7bddf2b32d34609aeeMeu amor.

Soa estranho dizer meu amor, afinal, já se passaram alguns anos, mas o sentimento… ahhhh o sentimento. Ele não mudou. Na realidade, acredito que talvez ele tenha se enraizado, quando o que eu queria de verdade era que ele fosse cortado, pela raiz, sabe?

E essa sensação, talvez seja pela existência da ausência, essa puta. A sua ausência.

Entendo que eu tenha existido pra te curar. Sanar suas dores, te fortalecer para daí, pra daí você partir pra outra. Pras outras. Alçar vôo. Outros braços. Outros abraços.

Não satisfeito, você veio se curar. Várias vezes. E sim, com o meu consentimento., o que não posso negar, pois o que me bastava era sua respiração, sua pele, sua companhia.

As últimas vezes tiveram requintes de dor, de sobrevivência, de amor.

Era o meu amor por mim que deveria ser mais forte. E é.

E foi por isso que te deixei pra trás. Porque é sempre esse amor que tem que ser mais forte. O próprio.

E meu amor próprio será sempre mais forte, por mais forte que eu te ame tanto, e que doa meu peito.

É melhor assim.

Com amor.